Reduflação, o que é!

Nos tempos em que vivemos, e com uma subida galopante da inflação, suge-nos um outro termo: a reduflação.

Foto de Karolina Grabowska: https://www.pexels.com/pt-br/foto/espaco-do-texto-maos-segurando-holding-4959907/

Mas em que consiste o termo reduflação?
Que palavra nova é esta: reduflação?

Se formos ao dicionário, vemos que o significado de reduflação é a

prática comercial que consiste na redução do tamanho ou da quantidade embalada de um produto, mantendo-se ou aumentando o preço de venda.

Vamos lá a um exemplo:

Imagina que uma embalagem de costeletas custava 4€, e trazia 8 unidades. Mas agora, quando vais ao talho comprar uma embalagem de costeletas, já só traz 6 unidades, mas continuas a pagar os mesmos 4€.

Ou seja, na prateleira do supermecado, e olhando apenas para o preço, aparentemente está igual. Mas no que diz respeito ao conteúdo, acabas por levar para casa menos 2 costeletas, pelos mesmos 4€.

Vamos a contas:
Se 8 costelas custavam 4€, isso dava um valor médio de 0,50€ por costeleta. Mas como agora só levas 6 costeletas para casa, o valor médio de cada uma é de 0,67€.
Ou seja, mesmo que na caixa do supermercado deixes na mesma quantia de 4€, cada costeleta ficou mais cara 0,17€.
Sim 17 centimos a mais por unidade, que não dás conta na hora de pagar… porque afinal de contas pagaste os 4€ habituais…
A isto se chama reduflação!

A reduflação é legal?

Sim!
Sim, a reduflação é legal, desde que seja mencionado na embalagem o conteúdo e a quantidade real do produto (unidade, peso, medida…)

Podemos reclamar?

Claro que sim!
Mas como a reduflação não é uma prática ilegal, desde que na embalagem estejam mencionados os valores reais do conteúdo, reclamar será inutil…


Enquanto consumidores finais, devemos estar atentos ao preço por kg, litro, ou metro do produto. Nem sempre o que parece mais barato de facto o é. Muitas vezes a embalagem mais barata porque tem menor quantidade, fica mais cara no preço por kg em relação à embalagem maior e mais cara. Se levamos a embalagem mais pequena, dentro de alguns dias teremos de voltar a comprar…

Comparar preços, e quantidades das embalagens, com a inflação galopante que atravessamos, é essencial para que possamos realmente poupar.

Mas atenção, no caso de produtos com pouco tempo de validade, pode ser mais vantajoso comprar mesmo a embalagem mais pequena, pois, se não forem consumidos naquela pequena janela temporal irão parar ao lixo, e isso é desperdício, e desperdício é dinheiro deitado fora.

Lembrem-se, os preços dos produtos estão a subir… mas os salários não!!!

 


Imagem de Karolina Grabowska: https://www.pexels.com/pt-br/foto/espaco-do-texto-maos-segurando-holding-4959907/

About Adelaide Almeida

Com formação em direito na Universidade Lusíada é a principal responsável pelo Informatico.pt, desempenhando actualmente as funções de gestora do departamento administrativo e comercial.

Veja também

poupar na fatura de telefone e internet

Truques para Poupar na Fatura de Telefone e Internet

Considera que paga muito pela conta do telefone e internet? A comunicação tornou-se num aspecto fundamental e hoje é quase impossível pensar em prescindir disso. Portanto, além de todos querermos optar por tarifas mais baratas, devemos levar em conta alguns truques para reduzir o valor que pagamos às operadoras de telecomunicações todos os meses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Como Poupar